This article was first published in English here.

Em Gênesis 2:18 e 20 lêmos sobre um papel permanente ou definitivo para a primeira mulher? Alguns cristãos dizem “sim”. Mas eu não tenho tanta certeza.

O PROBLEMA E SOLUÇÃO DA SOLIDÃO DE ADÃO

Em Gênesis 2, lemos que o primeiro humano, Adão, estava sozinho, e que isso era um problema. Deus destacou esse problema com o exercício de nomeação dos animais, e assim Adão se tornou consciente de que não havia criatura na terra que fosse para si, parceiro igual ou companheiro adequado.

Deus então construiu uma mulher a partir de um lado, ou parte, tirada do próprio corpo de Adão. A mulher foi feita para ajudar o homem, cujo único problema aparente era a sua solidão.

Assim que Deus apresentou a mulher recém-formada a Adão, o problema de estar sozinho foi resolvido. Foi resolvido nesse momento porque Eva era o parceiro igual de Adão, perfeitamente compatível com ele.

O plano de Deus foi um sucesso. Eva ajudou. Adam não estava mais sozinho.

Ao contrário do que alguns sugerem, não há menção de papéis de gênero permanentes ou fixos em Gênesis 2. Nada em Gênesis implica que Eva continuou a ser identificada ou definida como ajudante de Adão. Da mesma forma, Adão não é identificado ou definido como alguém que continuou a nomear animais. Esse episódio foi completado e terminado, e a narrativa continua, mas não antes de nos dar um vislumbre da relação entre o primeiro homem e mulher.

Os últimos versos de Gênesis 2, que poderiam conter os principais pontos da narrativa da criação de Eva, são sobre a profunda afinidade e unidade do primeiro homem e mulher (Gênesis 2: 23-25). Esses versos não são sobre funções, muito menos funções de gênero distintos.

IDENTIDADE E AUTORIDADE DE EVA

Em Gênesis 3:20, Adão chama sua esposa pelo nome “Eva” pela primeira vez, porque agora entende que ela será a “mãe de todos os viventes”. No entanto, raramente eu ouvi alguém dizer que ser a “mãe de todos os viventes” foi o papel determinante de Eva. [1]

Parece que Eva teve mais de um papel, e que seus papéis mudaram à medida que as circunstâncias mudaram.

A maioria das pessoas tem muitos papéis na vida, e isso muda conforme nossas circunstâncias mudam e passamos por diferentes estágios na vida. No entanto, alguns cristãos pensam que Eva e, por extensão, todas as mulheres, são definidas fundamentalmente como auxiliares ou ajudantes subordinados aos homens. [2]

As escrituras, no entanto, não nos dão razão para pensar que a posição social de Eva foi marcada por uma ajuda ou serviço unilateral para o marido ou que a posição social de Adão era receber a ajuda de sua esposa sem também ajudá-la.

Gênesis 1: 26-28 nos diz que homens e mulheres foram criados para trabalhar juntos para fazer o que for necessário para agir como regentes de Deus, que incluía governar a Terra e dominar os animais. Em Gênesis 1, homens e mulheres recebem exatamente a mesma comissão de Deus, e eles têm status, autoridade e função idênticos. Os papéis de gênero não são mencionados antes da queda.

HOMENS E MULHERES PRECISAM UNS DOS OUTROS

Não faz sentido sugerir que a primeira mulher foi criada para ajudar o homem solitário e, portanto, todas as mulheres são auxiliares com a função de servir e assistir perpetuamente os homens (que não são solitários como era Adão). Também não faz sentido sugerir, como alguns, que os homens não têm nenhuma obrigação recíproca de ajudar as mulheres por causa da ordem de criação de Adão sendo feito primeiro, antes de sua esposa.

Paulo aborda essas idéias defeituosas (que ele articula em 1 Coríntios 11: 8-9) com:

“No entanto (ou, exceto), no Senhor a mulher não é independente do homem, nem o homem é independente da mulher. Pois, como a mulher veio do homem, também o homem nasce da mulher. Mas tudo vem de Deus” (1 Coríntios 11: 11-12 NVI).

Paulo afirma aqui que homens e mulheres, particularmente aqueles “no Senhor”, precisam um do outro; e que a ordem de criação não tem significado nas relações cristãs, porque tanto os homens quanto as mulheres fundamentalmente têm Deus como fonte.

AMAR E AJUDAR UM AO OUTRO 

Afirmar que um sexo tem uma maior obrigação de ajudar a outro sexo não se parece com Paulo. Também não se parece com Jesus.

Jesus disse a seus discípulos para amarem uns aos outros. O amor é o seu maior mandamento. Certamente, o amor é mais claramente expresso quando nos ajudamos uns aos outros, independentemente do gênero da pessoa que ajuda e do gênero da pessoa que está sendo ajudada.

Deixe-me soletrar isso. Dependendo da necessidade e das circunstâncias, homens devem ajudar homens, mulheres devem ajudar mulheres, homens devem ajudar mulheres, mulheres devem ajudar homens, grupos mistos devem ajudar grupos mistos, etc. Todos devem ajudar qualquer pessoa com necessidade, de acordo com sua capacidade e situação. [3]

A Bíblia simplesmente não indica que ser ajudante é uma obrigação ou dever especial das mulheres. Ser um ajudante não é função de gênero. Ajudar é o que os seres humanos atenciosos e cuidadosos fazem.


NOTAS FINAIS

[1] A palavra hebraica para “Eva” provavelmente significa “viver”

[2] A expressão ezer kenegdo, na língua original de Gênesis 2:18 e 20 , não significa “ajudante subordinado”.

[3] Cada um de nós tem uma obrigação particular de ajudar aqueles em nossa família e ajudar os fracos, vulneráveis ​​e desfavorecidos, independentemente do gênero.

© 9 de março 2016, Margaret Mowczko
Traduzido por Orlando Paulo Correia Reimão

Mais artigos em português aqui.

artigos em portugues sobre igualdade entre homens e mulheres no lar e na igreja

 

Compartilhar!