The means of ministry Romans 12:6-8 dons fe Romanos 12

This article was first published in English here.

Um Corpo, Muitos Membros

Pois assim como cada um de nós tem um corpo com muitos membros, e esses membros não exercem todos a mesma função, assim também em Cristo nós, embora muitos, formamos um corpo, e cada membro está ligado a todos os outros. Romanos 12:4-5 NVI

Em Romanos 12, Paulo usa a metáfora “um corpo, muitos membros” que ele havia usado em uma carta anterior aos cristãos em Corinto (1 Co 12:12ss). Paulo usa essa metáfora para ilustrar que nem todos temos a mesma função, ou o mesmo ministério, embora todos nós pertencemos e permanecemos unidos na única comunidade cristã universal (isto é, o “corpo de Cristo”).

Todos os seguidores de Jesus, homens e mulheres, são membros deste corpo, mas alguns cristãos sustentam que somente os homens podem ter uma função de liderança legítima ou ministério. Alguns vão ainda mais longe e afirmam que todos os homens são líderes pelo desígnio divino. Esses cristãos acreditam que somente homens podem ser líderes (ou líderes seniores) e mestres no “corpo de Cristo”.

Paulo poderia mencionar restrições ao gênero em suas listas sobre os ministérios em Romanos 12:3-8, 1 Coríntios capítulo 12, assim como em Efésios 4:4-13. Paulo, no entanto, não diz nada sobre gênero nessas passagens. Em vez disso, ele menciona dons, graça e fé como sendo os pré-requisitos e meios do ministério.

Graça e Fé

Temos dons que diferem de acordo com a graça que nos foi dada. . . Romanos 12:6a

Paulo salienta ao seu público, tanto homens como mulheres, que nos foram dados diferentes dons (charismata) (Rm 12:6; 1 Co 12:4; domata em Ef 4:8). Mas ele não escreve que esses dons diferem de acordo com o nosso gênero. Em vez disso, ele escreve que nossos dons “diferem de acordo com a graça que nos foi dada” (Rm 12:6 cf. Ef 4:7).

A palavra “graça” (charis) é freqüentemente usada no Novo Testamento no contexto de poder, força e habilidade divina. É a graça de Deus operando dentro de nós, através do Espírito Santo, que nos equipa para sermos ministros eficazes na igreja e agentes eficazes de Jesus Cristo no mundo todo. O Espírito Santo (e não a masculinidade) é a fonte de capacitação no genuíno ministério.

Se alguém tem o dom de profetizar, use-o na proporção da sua fé . . . Romanos 12:6b NVI

A fé também desempenha um papel importante em como exercemos nossos dons e funções ministeriais. Paulo explicitamente conecta a fé com o ministério profético; ele diz àqueles que profetizam que devem fazê-lo de acordo com sua fé.[1] É possível que a idéia de fé continue implicitamente nas outras funções que Paulo lista nos seguintes versículos: servir (ministrar ou ministério), ensinar, exortar (ou encorajar), distribuir seus bens, liderar e exercer misericórdia (Romanos 12:7-8). A fé não tem preferência de gênero nem preconceito.

O Dom de Liderar e Febe

“Líderar” é listado como um dos ministérios em Romanos 12, e Paulo não dá nenhuma indicação de que é restrito apenas aos homens. O particípio proistamenos (“líderar”) em Romanos 12:8b vem do verbo proistēmi.[2] Este verbo pode significar “liderar”, “presidir” ou “atuar como patrono”. (Liderança e patronado foram intimamente associados e entrelaçados no mundo romano do primeiro século). Um cognato de proistēmi ocorre alguns capítulos depois em Romanos 16 em referência a Febe que era patrona de muitos e de Paulo (Rom 16:2).[3]

Um cognato da palavra para “ministério” (diakonia) usado em Romanos 12:7a também é aplicado a Febe (Rom 16:1).[4] Essa mulher era ministra em sua igreja em Cencrea. Também é amplamente acreditado que a ela foi confiada a carta de Paulo aos romanos. Parte do trabalho dos portadores de cartas era passar mensagens verbais do remetente e ajudar a explicar o conteúdo da carta aos destinatários. Michael Bird até ensina que Febe foi a primeira pessoa a ler Romanos em voz alta para os cristãos em Roma.[5] Paulo confiava e valorizava as mulheres ministras.

O Dom de Ensinar e 1 Timóteo 2:12

Com exceção de 1 Timóteo 2:12, em nenhum lugar do Novo Testamento afirma que qualquer um dos ministérios que Paulo relaciona em Romanos 12:6-8, 1 Coríntios 12:28, ou Efésios 4:11 está fora do alcance das mulheres. 1 Timóteo 2:12 é onde Paulo escreve que ele não está permitindo que uma mulher “ensine” um homem. A palavra grega didaskein (“ensinar”) em 1 Timóteo 2:12 é um cognato das palavras gregas para “ensino” e “mestre” encontrados em cada uma das três listas de ministérios de Paulo.

Se Paulo não queria que nenhuma mulher ensinasse, por que ele não deixou isso claro em suas primeiras cartas? Por que ele só menciona isso mais tarde na primeira carta a Timóteo?[6]

Didaskein está conectado por uma conjunção à palavra grega authentein em 1 Timóteo 2:12 . Authentein significa “dominar” ou “controlar”. (Não é a palavra usual para “autoridade”). É provável que Paulo não está proibindo uma mulher de simplesmente ensinar um homem;[7] ele está proibindo uma mulher de ensinar um homem de forma dominadora. Nem um homem nem uma mulher devem ensinar desta maneira no “corpo de Cristo”.

Fidelidade

Assim como Paulo, Pedro também conecta ministério com dons, graça e fé, ao invés de gênero.

Cada um exerça o dom (charisma) que recebeu para servir os outros, administrando fielmente a graça (charis) de Deus em suas múltiplas formas. 1 Pedro 4:10 NVI

Como mordomos fiéis, não devemos enterrar nossos próprios dons e talentos, nem os dons e talentos dos outros (cf. Mt 25:14-30), porque negar a alguém a oportunidade de usar seu dom dado por Deus é restringir a graça e o poder de Deus na igreja e no mundo todo.

Conclusão

Se Paulo realmente queria que todas as mulheres fossem excluídas do exercício de certas funções ministeriais, por que ele não mencionou isso em seus ensinamentos gerais e listas de dons e ministérios? Por que ele não escreveu uma lista para homens e outra para mulheres? Ou, por que ele não incluiu uma advertência para as mulheres em suas listas?

Eu não acredito que Paulo tenha pretendido restringir o ministério de mulheres piedosas e talentosas. Pelo contrário, sua teologia do ministério é inclusiva de gênero.

Não há absolutamente nada em Romanos 12, 1 Coríntios 12 e Efésios 4, que sugira que o gênero seja de qualquer maneira um fator determinante em qualquer um dos ministérios mencionados nesses capítulos. Dons, graça e fé, e não gênero, são os pré-requisitos primários e os meios do ministério, incluindo os ministérios de liderança e ensino.

Notas finais

[1] Fé e graça são ambos dons de Deus. Eles são os meios de salvação e de ministério (Ef 2:8-10).

[2] Existem vários particípios masculinos em Romanos 12:6-8; no entanto, esses versículos são tão inclusivos, gramaticalmente e intencionais quanto João 3:16.

[3] Proistēmi ocorre em Tito 3:8 e 14 no contexto de “boas obras” (cf. 1 Tm 3:1). Pode ser que em todas as oito ocorrências do proistēmi (em Romanos 12:8; 1 Tessalonicenses 5:12; 1 Timóteo 3:3, 4, 12; 5:17; Tito 3:8, 14) haja um sentimento de “cuidado” combinado com um senso de “liderança”, especialmente porque eram pessoas mais ricas, como patronos, que tinham recursos de tempo e dinheiro, que podiam assumir as responsabilidades de liderar e “boas obras”.

[4] Paulo tipicamente usava a palavra diakonos para agentes e ministros com uma comissão sagrada (diakonia) (Rm 13:4; 15:8, 25; 16:1-2; 1 Cor 3:5; Ef 3:7; 6:21-22; Col 1:7-9, 23; 4:7-9; cf. 2 Cor 11:13-15).

[5] Michael Bird, Bourgeois Babes, Bossy Wives, and Bobby Haircuts: A Case for Gender Equality in Ministry (Zondervan, 2012-12-25) Kindle Location 210.

[6] Primeiro Coríntios provavelmente foi escrito em 54 dC. Romanos foi escrito no inverno de 55-56 dC ou 56-57 dC. A carta aos Efésios (que pode ter sido uma carta circular e não escrita especialmente para os cristãos em Éfeso) pode ter sido escrita por volta de 60-62 dC. A data de Primeira Timóteo é muito debatida, mas provavelmente foi escrita em algum momento no final do primeiro século.

[7] Priscila e Áquila estavam em Éfeso quando instruíram Apolo, que estava ensinando (Atos 18:25); eles “explicaram a ele o caminho de Deus mais precisamente” (Atos 18:26). Paulo escreveu sua primeira carta a Timóteo quando Timóteo estava ministrando em Éfeso. Paulo não teria pretendido que sua declaração em 1 Timóteo 2:12 silenciasse a instrução, as explicações ou o ensino de mulheres como Priscila. A amizade e o respeito de Paulo por Priscila e Áquila são evidentes no Novo Testamento (por exemplo, Rom. 16:3-5a). Mais sobre Priscilla aqui.

© 22 de novembro de 2015, Margaret Mowczko
Traduzido por Orlando Paulo Correia Reimão

Mais artigos em português aqui.

artigos em portugues sobre igualdade entre homens e mulheres no lar e na igreja

 

Compartilhar!